Segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2005
Soneto de Arvers
gtrhyu.jpg




Tenho na alma um segredo e um mistério na vida:

Um amor que nasceu, eterno, num momento.

É sem remédio a dor; trago-a pois escondida,

E aquela que a causou nem sabe o meu tormento.


*



Por ela hei de passar, sombra inapercebida,

Sempre a seu lado mas num triste isolamento,

E chegarei ao fim da existência esquecida

Sem nada ousar pedir e sem um só lamento


*



E ela, que entanto Deus fez terna e complacente,

Há de, por seu caminho, ir surda e indiferente

Ao murmúrio de amor que sempre a seguirá.


*



A um austero dever piedosamente presa,

Ela dirá lendo estes versos, com certeza:

"Que mulher será esta?" - e não compreenderá.


(trad. Guilherme de Almeida)



publicado por Lumife às 19:54
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De Anónimo a 25 de Fevereiro de 2005 às 11:37
Não conhecia. Gostei muito. Beijos e bom fim de semanameialua
(http://fragmentosdalua.blogdrive.com)
(mailto:luamagica@hotmail.com)


De Anónimo a 22 de Fevereiro de 2005 às 22:48
k mulher será esta?....espero k esteja tudo bem ctg e reencontrar-t um dia seste por aki,embora nesta altura eu ande um poukinho ausente.
bjos.ana
(http://www.versusediversus.blogs.sapo.pt)
(mailto:one_anne@hotmail.com)


Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.Fazer olhinhos