Sexta-feira, 9 de Julho de 2004
Q U E R O . (Poema lindo mas fora de tempo ... passado) (AMAR ... sempreee)
125.bmp


Quero que todos os dias do ano


Todos os dias da vida


De meia em meia hora


De 5 em 5 minutos


Me digas: Eu te amo.


.


Ouvindo-te dizer: Eu te amo,


Creio, no momento, que sou amado.


No momento anterior


E no seguinte,


Como sabê-lo?


.


Quero que me repitas até a exaustão


Que me amas que me amas que me amas.


Do contrário evapora-se a amação


Pois ao dizer: Eu te amo,


Desmentes


Apagas


Teu amor por mim.


.


Exijo de ti o perene comunicado.


Não exijo senão isto,


Isto sempre, isto cada vez mais.


.


Quero ser amado por e em tua palavra


Nem sei de outra maneira a não ser esta


De reconhecer o Dom amoroso,


A perfeita maneira de saber-se amado:


Amor na raiz da palavra


E na emissão,


Amor


Saltando da língua nacional,


Amor


Feito som


Vibração espacial.


.


No momento em que não me dizes:


Eu te amo,


Inexoravelmente sei


Que deixaste de amar-me,


Que nunca me amaste antes.


.


Se não disseres urgente repetido


Eu te amoamoamoamoamoamo,


Verdade fulminante que acabas de dentranhar,


Eu me precipito no caos,


Essa coleção de objetos de não-amor




.



(Carlos Drummond de Andrade)



publicado por Lumife às 17:43
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Anónimo a 10 de Julho de 2004 às 03:01
Oiiii...linda noite para ti...
Que bom voltou a postar...estava com saudades...
Tá lindo D++++....beijos no teu coração...e um lindo e maravilhoso final de semana para ti..tchauzinho...Lisa
(http://cantinhoazulceleste1.weblogger.terra.com.br)
(mailto:)


Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.Fazer olhinhos