Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

ETERNO ENAMORADO

ETERNO ENAMORADO

29
Jun04

A C O N T E C E U

Lumife
Nem em sonhos loucos


Nem em devaneios


Pensei que pudesse acontecer


*


Sem permissão ou pressão, desabrochou


A palavra... a gentileza... cativava.


Motivava.


*


Quando me dei conta...


Sua falta eu já sentia


A presença me trazia alegria


*


Meu coração batia...


Aconteceu...


*



Clara M Maciel

29
Jun04

A M O R . A U S E N T E

Lumife
O dia passou.



Mais um dia de ausência.



Mais uma saudade.



Sem a sua presença.



*


Sem você o vazio.


Sem você a tristeza.


Fiquei sem carinho.



*


Relógio, passe rápido...


Corram horas


Cheguem, venham


Meus braços esperam.




*


Clara M Maciel

29
Jun04

Hoje Eu...

Lumife

Hoje eu não acordei muito bem,


.
estou sentindo uma angústia que


.
está consumindo meu coração.


.
As coisas não vão bem ...


.
Então resolvi esperar ...


.
Esperei que alguém viesse estender-me a mão.


.
Ou quem sabe trouxesse-me a fórmula mágica.


.
Mais um escorregão ...


.
Ninguém bateu à minha porta.


.
Ninguém telefonou.


.
Não recebi nenhuma mensagem ou carta.


.
Não encontrei soluções nos livros.


.
Nada de novo nos telejornais.


.
E ... depois de tantas desilusões,


.
Minh'alma engrandeceu-se, fez-se iluminada,


.
Num instante de lucidez, eu resolvi:


*



.
Ligar pra você, só pra saber como você está.


Bater à sua porta, só pra matar as saudades.


Escrever pra você, só pra desejar-lhe um " Bom Dia ".



*




Enviar-lhe uma rosa, só para perfumar o seu Dia.







29
Jun04

PRECISO VER-TE

Lumife
Preciso ver-te,


como Pégaso que busca o sol,



ainda que tua proximidade me derreta,



pois talvez seja este o meu destino.



*



Preciso ver-te,



ou serei viajante sem bússola,



carcereiro de mim mesmo,



cego sem horizontes nem auroras.



*



Preciso ver-te



para que possa encontrar algum sentido



nas coisas e seres que me rodeiam



e que falam de ti como miragem.



*



Preciso ver-te.



Barco na tempestade, nada temerei



se tu, meu farol intermitente,



me guiares com teu código de luz.



*



Porque só sei amar às claras,



não vou contentar-me com o obscuro.



O vulto imaginado, sem essência,



acaba se desvanecendo e cria um vazio,



somatório de muitos nadas.



*



Por tudo isso, preciso ver-te e provar-te,



saber-te real, vívida, palpável,



como também o é o meu amor, que ingeres,



escondida, em tua mesa de silêncio.



*



Por que tardas,



se tanto sabes que preciso ver-te ?



Pág. 1/14

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2005
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2004
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D